FEAR OF FLYING
 
 
Portillo

Portillo, primeiro campeonato Brasileiro de Snowboard. Antes das competições, uma sessão de fotos off-piste. Heli-snowboard a 4000 metros. Eu fui no primeiro vôo para fotografar o desembarque do segundo. O guia, a instrutora de snowboard Jenny, e eu descemos no col de uma montanha. No breve tempo em que o helicóptero demorou para buscar a segunda equipe de snowboarders, entrou uma tempestade de neve com ventos muito fortes. Nos abrigamos atrás de umas rochas e eu e a Jenny ficamos conversando sobre coisas mais quentes, como Búzios, onde ela já havia estado. O helicóptero sobrevoava a área de pouso e fazia sinal de que não ia pousar. O vento jogava a aeronave de um lado pro outro. Após várias tentativas, o piloto pousou, sempre mantendo a rotação bem alta. Pulamos pra dentro, e após um vôo hair-raising, chegamos ao hotel sem maiores problemas. Muita sorte. A mesma aeronave caiu depois, matando o fotógrafo T.R. Youngstrom, um jovem de muito talento. (Relato de um sobrevivente). 
 
 
 
Maranhao

 

Elf Authentique Aventure. Último dia de cobertura. A Playboy ia fechar antes e eu não ficaria até o final da competição. Aproveitando a oportunidade e o deslocamento dos competidores que começavam a entrar nos Lençóis Maranhenses, consegui uma vaga em um vôo junto com o Gerárd Fusil. Era final de tarde, e após o pouso em um local literalmente chamado "Carrapato", pegamos uma chuva forte. Escurecia, e as opções eram encarar ou passar a noite ali. Gerárd consultou o piloto e ele achou que dava. Deu, mas foi por pouco. A chuva, horizontal, jogava o helicóptero de um lado para o outro, e quando pousamos, em Tutóia, não dava pra ver absolutamente nada. Depois do pouso deu vontade de fazer que nem o papa, beijar o chão.  

 

fotos copyright ignacio aronovich