arquivo

23.08.01

A gente andou falando sobre o Chris Morris ai embaixo, e há alguns meses atrás sobre o James Nachtwey. Os dois, e mais cinco top fotojornalistas fundaram a VII, ou Seven, uma agência coletiva de fotógrafos. Independente. A gente entende muito bem porque, e acha a melhor solução, nesta época em que grandes corporações desvalorizam talentos.

Ontem rolou mais um ensaio para uma revista masculina. Uma das locações foi a cobertura de um hotel no centro. Engraçado foi chegar em casa e ouvir um recado do Inácio Teixeira, da Coperphoto, dizendo que viu tudo de um prédio vizinho.

E tá rolando mercado paralelo de revisão de meta da eletropaulo. Dizem que R$ 1000 compram + 100kWh... Não dá pra acreditar.... Fotos pra gravadora, fotos pra revista nova da C&A, fotos pra publicidade, e fotos pra editorial. Tempo pro site: zero. Então, alguns links:

links úteis pra quem vai viajar: currency converter | visa requirements worldwide

Jello speaks: don't hate the media, become the media | joey ramone

Apocalypse Finally? por Dirck Halstead, o mesmo fotógrafo da história da foto da Monica Lewinski, que fez uma editora daqui mudar a maneira de enxergar o seu arquivo fotográfico.

reciprokarmalinkosis: cortina | varegera | stripped | hyperspeed | respiradoido | universo real | son of a bong | lu3 | telescopica

21.08.01

Semana super corrida, sem tempo para updates, apesar de ter muita coisa "quase" pronta. Mais detalhes na madruga...

Ontem encontramos o Michel, que venceu a Raam deste ano. Ele nos contou várias histórias boas da prova. Disse que o suiço Andrea Clavadetscher, vencedor da categoria solo, competiu pela terceira vez, e finalmente conseguiu vencer a prova. Mas, a vitória lhe custou o casamento e a sua esposa pediu o divórcio... Durante a competição, o pedal da bike do Michel quebrou, e era a única peça de reposição que eles não tinham. No meio do Oklahoma, de madrugada. Encontraram um atleta da categoria solo, dormindo ao lado da estrada. Próximo a ele, um velhinho fumava um cigarro com uma piteira. João Li, o mecânico, perguntou ao velhinho se havia alguma bike shop por ali. Ele disse que não, mas contou que já havia pedalado mais de 400 mil milhas e que era sócio da UMCA. Convidou o Li até a sua casa, e abriu um armário cheio de peças de bike. Uma gaveta era só de pedais, e no meio, havia um pedal Look de carbono, exatamente o que eles precisavam. Incrédulo, João perguntou por quanto ele venderia a peça. O velhinho pegou um ziploc, jogou as peças dentro e disse, "vai com deus" se recusando a receber qualquer pagamento. A dupla do Michel e Zé Filho venceu a corrida e quebrou o recorde anterior da Raam, dimuinuindo o tempo em mais de oito horas. Esta semana eles estarão no Jô e na Hebe, entre outros programas, para divulgar os resultados e dar algum retorno para os patrocinadores que investiram US$ 25 mil na participação deles. Pena que eu não pude ir fotografar desta vez, o fotógrafo convidado simplesmente esqueceu a câmera em Fortaleza e o material fotográfico ficou tão bom que estão usando fotos minhas das participações anteriores... Para se ter uma idéia do orçamento apertado com o qual participaram este ano, em 1997, quando fotografei a última participação brasileira por equipes, o orçamento foi de US$ 200 mil...

20.08.01

Feliz Aniversário, Herbert!

Lola escreve sobre "A Senha" e revela a diferença entre o John Travolta e um argentino.

19.08.01

O mundo da fotografia é repleto de clichês, mas de vez em quando pinta alguém que concebe e capta uma imagem que jamais havia sido vista antes. Richard Cooke é um desses inovadores. Não é pra qualquer um fotografar um Harrier lançando mísseis de frente. Com duração de 0.2 segundos e custo passando dos US$ 20 mil para cada lançamento, (sem incluir a gasosa), a responsa é enorme. Que tal US$ 65 mil pra clicar um rolo de filme? Leia aqui os detalhes sobre essas fotos caríssimas, extremamente técnicas e absolutamente originais.

A gente falando do Sebastian Junger, e neste mês na Outside ele assina uma matéria que nos fez recordar da nossa viagem ao Marrocos. A gente já passou por isso, caminhar no deserto até perder tudo de vista (mas com GPS e bússola de backup). O sentimento é de estar à deriva em terra firme. Liberdade total. O tema da edição deste mês é sair do mapa. Vacilo deles não mencionarem o sudoeste boliviano. O Salar de Uyuni é um dos lugares mais remotos e isolados do continente. Quem sai do roteiro dos 4x4s que circulam por ali, ou pedala, sabe disso. A gente é fascinado por esses lugares. Curiosamente, a seção sobre a américa do sul é intitulada "Vaya con Dios", o mesmo nome que a gente deu aqui. Tudo bem, não era nada tão original assim... A Outside é ok, porque conta com bons colaboradores, mas sofre do mesmo mal da Rolling Stone, que já teve sua época e agora é puro mainstream... Ficamos então com a Blue, que tem o Pelton no conselho editorial, mas sem chance de colaborar: a Blue não paga nada. Subsidiar conteúdo pra revista gringa não dá.

O que não dá, mesmo, é pra acreditar que o orgão que deveria cuidar do meio ambiente demore três meses pra tomar uma atitude. 76% dos animais morreram...Isso é inacreditável. Dostoyevsky escreveu, "o sofrimento é a origem da consciência", mas deveria ser "a consciência é a origem do sofrimento"... Melhor não ver TV, nem jornal, nem nada. Comfortably numb ninguém esquenta a cabeça...

18.08.01

"I've walked at the edge of the cliff and looked down for too long. Now it's time to step back. You know, the cliff of humanity". Christopher Morris, da Blackstar, falando sobre o burnout sofrido após fotografar guerras demais, e admitindo que agora, com uma filha de três anos e uma esposa, suas prioridades mudaram. A entrevista é muito boa e as fotos dispensam comentários.

Continuando a série "seja o último a saber". No melhor estilo tufta, Veja descobre as raves.

17.08.01

Lendo e pirando com os Hell Babies da Junko Mizuno, que o Jun mandou para a Vi, que está em SP. A Junko começou fazendo um zine xerocado chamado, "Mina animal DX", que chamou muita atenção para o seu trabalho. Daí foi um pulo para trabalhos de ilustração e quadrinhos.
Nos Estados Unidos ela publica na Pulp. Não há como não se apaixonar. Conheça alguns personagens: Meaty Pair: equipe formada pela bela Sakiko (uma açougueira) e a meat-lover Minnie. Saem para caçar juntas nas férias e amam o gosto da caça assada na hora. Homeless Girl : a Miyo tem um restaurante favorito onde vai procurar sobras de comida, mas não curte que uma senhora de meia-idade quer forçá-la a se associar a um culto estranho. Hospital Love: Taro está hospitalizado, mas sua mulher apaixonada, Yuri, o visita e rola sexo selvagem diariamente. As enfermeiras acham que é por isso que Taro não melhora. São muitos personagens...Tattoo sisters, Miss Alice Cooper, Goddess Aiko, Wannabe Superstars, Kumiko the Witch... o livro é maravilhoso. Não achamos muita coisa dela na web, só uma entrevista e um bio, e o livro Secret Comics Japan, onde a estória "The Life of Momongo" aparece traduzida (em inglês).

Conversando com o Gui ontem a noite confirmei a suspeita: "E ai Gui, já cansou de ouvir a pergunta?" "Puta, Ig, é um saco, não aguento mais ouvir isso." Qual pergunta? Quem volta de uma expedição sabe. É: "Qual é a próxima?". Essa é a pergunta que a gente mais ouve, e nunca responde. O lugar da exposição é privilegiado, porque circulam milhares de pessoas por ali diariamente. Por outro lado, é meio apertado, e a gente sabe que são poucas imagens para uma viagem tão longa e tão extensivamente documentada. Mas vale a pena conferir (até 9/09).

16.08.01

Na maioria das vezes o tempo gasto em planejamento de uma expedição (antes), e , divulgando os resultados (depois), é maior do que a duração da própria viagem. O nosso amigo Gui Von Schmidt está na fase pós-viagem, e agora tem que ficar trabalhando na edição e divulgação das imagens, cumprindo com o retorno de mídia prometido aos patrocinadores. É o preço que se paga para realizar sonhos. O resultado da viagem épica do Gui e do Betão, estará exposto no Shopping Iguatemi, a partir de hoje. A gente vai.

Eu (Ig) cheguei a ser convidado a participar da Rota Austral, fazendo uma perna da viagem velejando ou fazendo o apoio terrestre, mas acabou não rolando devido a outros compromissos. Mas participamos um pouquinho, antes da partida, em reuniões com o Gui para discutir equipamentos para o frio, hipotermia, baterias solares, e o que a gente conseguiu aprender com a experiência do Alaska.

Update! A página OFF-ROAD ficou pronta. A gente já viajou bastante de Land Rover pra saber apreciar o acesso que um bom 4x4 lhe permite. Por outro lado, ao ver Defenders parados em fila dupla na frente de uma escola enquanto uma "madame" vai buscar seu filho, só podemos sentir desprezo absoluto. Carros feitos para chegar em locais inacessíveis deveriam ser usados para a tarefa para a qual foram criados. Pra fazer Santarém-Cuiabá na época de chuva, um Defender (ou um Unimog) é a melhor escolha. Já os 4x4s conduzidos por playboys ao celular aqui em SP deveriam ter este adesivo grudado. Ou esta multa, uma bela sacada.
Pior ainda é o anúncio impresso do Mitsubishi Pajero, com a frase "off road, on road, sem road, para o Pajero é tudo a mesma coisa." Do tipo, atropelo tudo mesmo, e ai? E ai, que no mínimo deveriam ensinar os conceitos básicos de mínimo impacto, ou traduzir o tread lightly, mas não há sinal disso no anúncio e nem no site.

 

Infelizmente esse é o público alvo desses carros, gente que tem grana mas pouca consciência, social ou ecológica, que quer se sentir mais segura em um carro maior e mais alto, e que jamais vai encarar uma trilha. Lógico que não podemos generalizar e nem todo mundo é assim. O Maká (que editou todos os vídeos deste site, incluindo o "Suspended Wedding"), está fazendo valer o seu investimento na Toyota que ele comprou e equipou. Já foi até Ushuaia e agora, de férias, mandou um e-mail dizendo que já passou por Salvador, Aracaju, Maceió, Porto de Galinhas, Maracaípe, Recife (Com estadia na Mãe Adalva...mãe do Jun) e só volta quando acabarem as férias ou a grana, o que vier primeiro.

 

Um cara que já viajou mais do que todo mundo e já até morou em um Land Rover é o nosso amigo Tito, que deveria ganhar um Defender da Rover. E nem precisa ser o Land Rover da Lara Croft.

Na real mesmo, o certo seria todo mundo que tem saúde ir de bike, mas com a falta de educação, respeito, e de segurança, como culpar quem tem grana pra entrar nessa bolha metálica com ar condicionado? Tá poluindo? Azar, eu vou ouvindo um cd e falando no celular... Se alguém vem lhe vender alguma coisa no farol, é só fingir que está no celular... "Não tem pra ninguém", como termina dizendo o anúncio da Pajero. Fucking posers! e aí, concorda? Comente.

Feedback: Fernando Monteiro acrescenta: "um lance que poucos se dão conta, os pneus dessas carangas na maioria das vezes são hibridos, com um composto de borracha diferente. A rodagem frequente desses pneus no asfalto traz um problema sério que é o resto da borracha no piso, lembrando que a borracha é um termofixo, milhões de anos para sumir do nosso habitat, é foda!!!"

14.08.01

A gente não se cansa de repetir: Imitação é a forma mais sincera de elogio. Ou preguiça. Trip#92 vs. FDC. Qualquer coincidência é mera semelhança...

E a Apple mandou bem no recall dos power adapters do Powerbook. A gente entrou no site, mandou o formulário, e menos de cinco dias depois chegou um pacote via DHL com um novo adapter. Se todas as empresas fossem assim...

Inbox> Ricardo avisa: em breve Gravis no Brasil. Do Japão, Jun manda imagens do novo colaborador da LUZ. Onesto manda um vídeo e um click.

Tom-b dá o toque: audiogalaxy pra Mac.

13.08.01

 

Demorou demais, mas agora temos uma representante feminina nas páginas de graffiti: Nina. Quem conhece já viu suas criações espalhadas por SP.

 

 

Começando a série "best live performances" com o show do Alien Sex Fiend no 9:30 Club em Washington D.C.
Front row. Esmagado. Boneshaker Baby, E.S.T., Dead and Buried, aquelas músicas todas... Fotografando e vendo o Nik Fiend acender o vigésimo-terceiro cigarro, no meio da fumaça. Palco de um metro de altura, sem bouncers, sem nada. Inesquecível. Como o Nik disse na entrevista: "About half stand and watch but the other half go absolutely haywire, jumping off the stage and breaking their noses and legs."

 

A Lola avisa que não há nada de bom pra ver e se recusa a assistir Final Fantasy. Depois do Tomb Raider ela não quer nem saber... Além disso, o PC dela quebrou. Hoje seria o aniversário do Hitchcock (e é do Fidel Castro!), e os top 3 dele escolhidos pela Lola são: North by Northwest, Birds, e Psycho.

Hitchcock Script Collection | Hitchcock no IMDB | Master of Suspense | Alfred Hitchcock | Hitchcock Online

E tem dia que a gente acorda assim. Como ser cool: ache algo execrável em uma revista. Dedique uma seção inteira da sua publicação para ridicularizar as outras. Pronto. Pior, tem revista que faz isso e ainda se diz inteligente. Deve ser, burro é quem compra....

12.08.01

hotmail Da série, "e-mail é bom, mas correio é muito melhor" chega uma caixa-surpresa da Consu, cheia de trail mix, clif e luna bars, chocolates, e ... taco & salsa mix!
A gente é viciado em pimenta, logo mais até rola uma página sobre isso, mas por enquanto vamos reunindo os ingredientes pra fazer uns tacos. Restaurante mexicano de verdade em SP não rola, então é melhor fazer em casa. San Francisco é a cidade dos Burritos. Saudades do El Balazo, onde a gente comeu todo dia durante uma semana sem faltar um só dia... A rotina não cansava... era um burrito con cerveza e depois uma caminhada pra um sorvete no ben&jerry's na Haight com a Astbury. Valeu, Consu! Boas aulas!
hmmmm....

Burma : grace under pressure. viaje sem pressa... Infotainment: Pelton avisa, "when media is owned and controlled by 7 entertainment companies it looks like we'll have to rely on others to correct the excesses and abuses of government."

 

[arquivo]: outubro | novembro | dezembro | janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho (1-15) | junho (16-30) | julho (01-15)| julho (16-31) | agosto (1-11) | últimos updates